terça-feira, 15 de novembro de 2011

Paris, macarons e Salon du Chocolat

Voilà! Estou de volta ao Brasil! E com muita saudade de escrever e postar coisas bacanas! Desculpem o meu sumiço...mas, viajar nos leva para uma outra realidade. E quando estamos ali até nos esquecemos desse mundo virtual. Até certo ponto! Pois a cada fotografia tirada eu pensava e me preocupava com aquelas pessoas que apreciam e seguem o meu trabalho. E acima de tudo, queria compartilhar com vocês a alegria de poder estar ali...a alegria de poder estar em Paris.
Ir a Paris e não provar o macaron é um pecado! O doce que foi levado para a França pela rainha fiorentina Catarina di Mèdici há quase 500 anos está presente em quase todas as patissêries. Impossível não ve-los aos montes, com toda a sua beleza colorida enfeitando as vitrines. E não tem como resistir a eles! Pecado duplo é ver e não experimentar!


Pelo meu humilde conhecimento nesse doce, eu tinha em mente provar macarons em três lugares somente. Acabei provando em quatro. O primeiro lugar era o Pierre Hermè. Ele foi o pâtissier que deu ao macaron essa ousadia nas cores e sabores e é considerado um dos melhores do mundo. Os franceses dizem que o macaron do Pierre é macaron para nativo, para quem conhece macaron e tem paladar para apreciá-lo. Então, claro, fui conferir!
Os que mais gostei foram: Mogador (chocolate ao leite com maracujá), Cassis e Chocolate com Yuzu (fruta cítrica do leste asiático não conhecida no Brasil). Embora a textura não estivesse das melhores, mas os sabores eram surpreendentes! De qualquer forma, valeu a pena e com certeza recomendo!


O segundo lugar era a Ladurèe! Fundada em 1862 foi a pâtisserie pioneira a juntar os macarons a um recheio cremoso. Segundo os franceses, o macaron da Ladurèe é para turista...para quem não conhece muito ou nunca provou. Independente disso, vale ir a Ladurèe! A casa de chá é super fofa, tem inúmeros doces e souvenirs (carésimos!!!) para quem curte confeitaria. Ela faz parte da história dos macarons e tem todo aquele encantamento de uma pâtisserie francesa. Os macarons estavam uma delícia, tanto no sabor como na textura. Os recheios não são a base de ganache como os do Pierre, porém os macarons eram bem úmidos por dentro. O de frutas do bosque era o melhor!
O terceiro lugar que provei foi a Angelina. Ela foi fundada em 1903 e também é bastante tradicional. Provei alguns macarons, que não me surpreenderam tanto e, na minha opinião, ficaram aquém dos outros lugares. Como eles foram degustados na Sala de Chá dentro da confeitaria, não pude tirar fotos.  Aliás em nenhuma confeitaria é permitido tirar fotos. Mas, o Mont Blanc estava uma delícia!


O quarto lugar foi dentro do Salon du Chocolat no stand de um famoso chocolatier belga chamado Pierre Marcolini. Os macarons eram gostosos, especialmente o de Cassis. Mas ainda prefiro os do Pierre...Hermè!
Comparações e macarons à parte, Paris e suas pâtisseries são encantadoras! Provar os macarons no lugar que os consagrou é uma experiência única. E acima de tudo enriquecedora, inspiradora e mágica!
Espero poder traduzir em meus macarons esse encantamento e todo o amor em produzi-los!